Trilha formativa docente e suas múltiplas possibilidades

A trilha formativa de desenvolvimento profissional docente é potencialmente ilimitada. São muitos os possíveis caminhos e múltiplas as escolhas que podem direcionar a formação contínua, com ampliação de repertórios de práticas, amplidão de visão crítica e renovação de atitudes que acolham novas perspectivas sobre o campo de atuação profissional. Nesse sentido, a experiência, em termos apenas cronológico, não é suficiente para gerenciar as transformações que a contemporaneidade, refletida em sala de aula, propõe.

Essa trilha deve visar tornar o professor o protagonista do seu crescimento e da sua carreira. No Cel.Lep, a trilha formativa docente compõe-se dos seguintes caminhos: acolhimento, capacitação direcionada, desenvolvimento e aprimoramento.

Leia: O poder do feedback na construção de equipes vencedoras

O acolhimento

O acolhimento do novo professor acontece desde o primeiro contato com a instituição, por meio do RH, até sua capacitação. O profissional é sempre visto de forma holística, uma vez que buscamos conhecer não só suas experiências profissionais, mas também seus valores, pensamentos e aspirações. Concomitantemente, há a preocupação de apresentar ao profissional a missão e princípios da instituição, sempre de forma aberta e clara, a fim de que haja um alinhamento de expectativas de ambas as partes desde o início da parceria.

Durante sua capacitação, o profissional é convidado a explorar, refletir e experimentar a prática pedagógica do Cel.Lep, sendo que a base de todo esse processo vem, sobretudo, do entendimento do perfil de nosso aluno, suas expectativas e a trilha de aprendizagem percorrida por ele.

Esse primeiro momento é crucial para a trilha formativa do professor, pois é a partir daí que se faz possível a identificação de suas competências e das oportunidades de desenvolvimento. Por meio de feedback constante e reflexivo, o professor é convidado a cada vez mais ter um papel autônomo e protagonista em seu processo de desenvolvimento, contando sempre com o apoio de seus facilitadores.

trilha formativa docente

Foto: Envato Elements

A capacitação direcionada

Após uma abrangente capacitação inicial do professor, existe no Cel.Lep um programa para completar sua total confiança em sua prática pedagógica e nos recursos disponíveis na escola. Por mais experiência que o professor tenha, sempre há perguntas e pontos de apoio necessários para que o docente faça sua reflexão profissional com a qualidade esperada.

A mesma equipe que capacita os professores recém-chegados mantém contato para acompanhar sua adaptação, entender suas necessidades e, por meio de observações de aulas escolhidas com os docentes, ajudá-los com seus desafios.

O intuito é dar suporte especial e específico para cada novo professor. Faz-se um contato para determinar, por exemplo, qual lição será observada, quais as características do grupo e perfil dos alunos. Após cada observação, há uma sessão de feedback e reflexão em conjunto com o professor para especificar se há necessidade de outra observação imediatamente ou se ele pode ser encaminhado para outros cursos, palestras e leituras para seu desenvolvimento. Esse processo é repetido duas vezes no primeiro semestre de contrato.

No segundo semestre, o caminho é invertido, com os dois principais contatos sendo iniciativas do próprio professor.  Ele entra em contato com seu coach de capacitação para mostrar um elemento de seu próprio processo reflexivo, agenda uma observação, combina uma sessão de feedback com seu coach e continua seu desenvolvimento através de mais leituras, palestras e oficinas. Em resumo, espera-se que, após um ano de acompanhamento, o docente seja mais autônomo no seu próprio processo reflexivo.

Leia: Formação docente faz a diferença, destaca Ricardo Paes de Barros

O desenvolvimento

Conrado Schlochauer, especialista em aprendizagem corporativa, defende que aprender na empresa é um direito, não um dever. E essa é a premissa deste momento da trilha formativa docente. Para que o desenvolvimento do professor seja completo e efetivo, ele precisa de oportunidades que, por um lado, permitam-lhe adquirir novos conhecimentos, aprofundar suas reflexões e aprimorar suas competências, e por outro, encorajem-no a compartilhar seu conhecimento, gerar conteúdo e promover o aprendizado de outros colegas.

No Cel.lep, propõe-se um calendário pedagógico com programas de formação contínua que utilizam diferentes ferramentas, abordagens e formatos, e cada professor – novato, experiente ou senior – gerencia o seu desenvolvimento. Ao longo de cada semestre, há cursos, minicursos, oficinas e encontros de formação, cujas temáticas surgem das necessidades e sugestões do corpo docente.  Ao mesmo tempo, há oportunidades de projetos dos quais o professor pode participar e nos quais pode explorar novas competências como desenvolvimento de cursos, criação de materiais e recursos didáticos, tutoria de professores com menos experiência, elaboração de cursos e workshops para o corpo docente, entre outros. Cada professor escolhe sua trilha, cresce ao percorrê-la e colabora para o desenvolvimento dos outros por meio daquilo que compartilha.

O aprimoramento

O Cel.Lep tem a proposta de um programa de mentoria, que objetiva levar professores não iniciantes a um trabalho reflexivo, em parceria com outros professores, caracterizando a dinâmica mentor e mentorado, para alcançar patamares diferenciados de desempenho, estudo, e construção de conhecimento.

Nessa relação, tanto o mentor quanto o mentorado são beneficiados, uma vez que a atitude reflexiva não se limita a práticas prescritivas, e tem a possibilidade preciosa de gerar pontos de questionamento, agudeza de olhares, e a construção colaborativa de repertórios amplos de práticas pedagógicas.

A partir do planejamento e observação de aulas, encontros para devolutivas reflexivas, e desenvolvimento de planos de ação, os professores envolvidos trabalham com objetivos harmonizados, em busca de resultados consequentes da postura crítica e reflexiva do próprio exercício docente.

No Cel.Lep, acreditamos que o professor, por ser protagonista de seu desenvolvimento, é o agente transformador e gerador de conhecimento, aliando sustentação teórica a evidências de práticas em sala de aula.

*Teacher Development Team – Cel.Lep

Fernanda Vicente

Jackson Isaltino

Nancy Lake

Veruska Gallo

Leia também

O que muda com a Base Nacional de Formação dos Professores

Tecnologia na educação vai além de oferecer uma ferramenta

 

Envie um comentário

Your email address will not be published.