Tolerância se aprende em sala de aula?

Governo francês convoca ajuda dos professores para promover valores republicanos

Depois dos atentados em Paris, no início de janeiro, todas as atenções na França se voltaram para a escola e seu papel na formação de cidadãos. Em um pronunciamento público, o presidente francês alertou para a necessidade de mobilizar as escolas na luta contra o terrorismo e, semanas mais tarde, o ministério da Educação lançou um pacote de medidas para fortalecer os “valores republicanos” com a ajuda dos educadores. O motivo dessa aproximação com as escolas se deve, segundo o governo francês, às centenas de incidentes envolvendo estudantes que declararam apoio ao atentado na redação do jornal Charlie Hebdo. Entre as  ações previstas para conscientizar os jovens estão: formação, ainda no primeiro semestre do ano, de profissionais habilitados para promover a laicidade em sala de aula, além de conteúdos de moral e cívica; ampliação do contato com as famílias e com organizações sociais existentes no entorno da escola; criação de programas de inclusão, especialmente para jovens nascidos fora da França sem o domínio do idioma francês; miscigenação na composição das turmas; implementação de ações para lutar contra o determinismo social e territorial; e expansão dos programas de profissionalização oferecidos em paralelo com o ensino médio.