O que é inovação na escola?

O que vem à sua cabeça quando pensa em levar inovação para a sua escola?

A impressão que tenho é que as pessoas relacionam inovação exclusivamente a novidades tecnológicas ou a inventar algo que ainda não existe. A inovação na escola pode sim estar ligada a esses dois fatores, mas ela é muito mais do que isso.

Na minha visão, inovar é pensar em novas formas para melhorar a eficiência nos processos da empresa, aprimorar serviços e produtos, dentre outras melhorias em coisas que já existem, mas que podem ser feitas de maneira diferente, com o objetivo de aumentar a lucratividade de seu negócio. Você pode tanto inovar na aplicação dos conteúdos em sala de aula com diferentes tecnologias como nos processos de matrícula de sua escola, por exemplo.

————–

Leia: Tecnologia na educação vai além de oferecer uma ferramenta

————–

Inovação significa fazer algo novo. Não é especificamente criar alguma coisa, e sim inovar em coisas que já existem.

Os exemplos mais observados de inovação nas escolas estão relacionados com a aprendizagem, como investir em novas metodologias e avaliações com o objetivo de melhorar a performance dos estudantes. Essas inovações estão ligadas diretamente à satisfação dos clientes. As escolas estão melhorando seus serviços e, com isso, conseguirão aumentar a taxa de retenção e captação de alunos.

Foto: Freepik

É preciso estar sempre em busca de inovação? Bem, se você quiser que sua escola esteja sempre cheia de alunos, é preciso acompanhar as tendências educacionais e estar sempre se renovando, como em qualquer outro negócio.

Imagine uma escola que oferece um excelente serviço educacional, salas de aula muito equipadas e excelentes professores, porém “pecando” na comunicação com os pais. Essa escola utiliza o WhatsApp e bilhetes nos cadernos dos estudantes para falar com as famílias. Ela faz isso há três anos, e esse modelo não está dando certo. Estão perdendo alunos pois muitos pais estão insatisfeitos. A escola resolve, então, contratar um aplicativo específico para comunicação com os pais e percebe a redução dos seus problemas.

—————

Leia: Metaverso e os possíveis impactos na educação

—————

Este é um exemplo simples e muito comum entre as escolas. E sim, esta é uma inovação para a escola. Ela identificou um problema e aplicou algo que já existia de modo diferente a fim de resolver a situação.

A escola que não coloca como prioridade a inovação pode colher problemas grandiosos – e, muitas vezes, irreversíveis – no futuro.

A inovação sempre garante melhores resultados? Não necessariamente; é preciso avaliar cada inovação implementada, investir em pesquisas e identificar se as decisões tomadas ou os novos serviços desenvolvidos estão alcançando os objetivos traçados. Senão, a alternativa será repensar caminhos.

Outra dúvida frequente é o valor do investimento para ser uma escola inovadora.

Enxergue a inovação como algo simples e acessível que trará benefícios não só para a instituição de ensino em si, mas também para toda a comunidade escolar (estudantes, famílias, docentes, funcionários, entre outros).

Os recursos da sua escola não devem ditar o tamanho da sua vontade em inovar. É possível encontrar soluções diferentes e criativas com baixo ou nenhum investimento. Tudo depende do momento da sua instituição de ensino, claro.

A inovação deve estar no dia a dia. Quando se deparar com um problema ou quiser melhorar seus serviços, minha sugestão é sempre se perguntar: “Como posso resolver essa questão de maneira inovadora?”. Parece uma dica boba, mas não é.

Tente aplicar esse exercício mental de acordo com a situação de sua escola e depois me conte como foi. É um jeito fácil de incentivar a sua criatividade e implementar a cultura de inovação em sua instituição de ensino.

*Helena Poças Leitão é fundadora da Sua Escola Ideal, autora do livro Marketing escolar de bolso e gerente de marketing da Editora do Brasil

Escute nosso podcast:

Envie um comentário

Your email address will not be published.