Metaverso e os possíveis impactos na educação

A especialista em marketing Helena Poças Leitão destaca como o metaverso poderá impactar as escolas e defende a necessidade das instituições acompanharem tais mudanças

Talvez você não entenda em profundidade o metaverso, mas, com certeza, já deve ter ouvido falar a respeito desse tema em diversos canais de comunicação. O metaverso é um mundo virtual no qual você pode fazer as mesmas coisas que faz no mundo real, como ir ao shopping ou a concertos, encontrar amigos, visitar museus e até mesmo estudar e trabalhar. Para que a experiência no metaverso seja mais próxima da realidade, o usuário pode utilizar os óculos de realidade virtual, luvas sensoriais e, quem sabe, até macacões sensoriais de corpo inteiro.

O metaverso, portanto, é a junção da realidade aumentada com a virtual, combinando o mundo digital com o material, e tudo nele acontece em tempo real.

Então, suponhamos que você queira comprar uma roupa. Você vai acessar a loja no metaverso e lá, poderá manusear as roupas e prová-las, como você faz na vida real. Você conseguirá sentir as roupas, os tecidos. Você paga as roupas no caixa e recebe posteriormente as roupas em sua casa.

—————

Leia: O universo, o verso e o metaverso

—————

Já familiarizados

O conceito de metaverso não é algo novo. Existem videogames online que oferecem ambientes virtuais nos quais você já consegue, além de jogar, interagir com outros usuários, socializar, assistir a shows, ir a exposições, entre outros. Os usuários são representados por avatares, que podem ter características físicas semelhantes aos do usuário na vida real ou podem representar algum personagem fictício, como um monstro ou uma fada, por exemplo.

Apesar de essas plataformas existirem há algum tempo, elas ainda não são tão acessíveis e intuitivas para abranger públicos de todas as idades e classes sociais, mas estão sendo aperfeiçoadas com muita agilidade. Num futuro muito próximo, o metaverso será acessível para as pessoas, assim como o celular. Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, declarou em 2021: “Nos próximos cinco ou 10 anos, muitos de nós estaremos criando e habitando mundos tão detalhados e convincentes como esse aqui”.

—————

Leia: Por que não podemos acertar em tecnologia educacional sem os professores

—————

Mais impactos

Já deu para ter uma ideia de como o metaverso poderá transformar nossas vidas?

Parece até um roteiro de filme de ficção científica, mas é realidade, e precisamos nos preparar para os grandes impactos na educação.

Apesar de tudo isso ainda estar em construção, gestores e educadores precisam manter-se informados quanto às tendências tecnológicas e implementá-las ao cotidiano profissional sempre que for possível, mantendo a escola atualizada e preparada para o futuro.

Destaco algumas ideias sobre como vejo que o metaverso poderá impactar as escolas. Em resumo, são apenas reflexões de alguém que também está aprendendo sobre esse universo:

Captação de alunos

E se sua escola estivesse no metaverso? Mantendo a mesma estrutura da vida real, mas em um ambiente virtual? Já imaginou?

Com sua escola inserida no metaverso, as famílias teriam mais facilidade em fazer uma visita à instituição, pois não precisariam se deslocar fisicamente. Além disso, sua instituição conseguiria agendar muito mais visitas do que no formato presencial.

Por outro lado, a escola deverá se organizar em relação aos funcionários que acompanharão as famílias nessas visitas. Talvez seja o caso de montar uma equipe dedicada para a escola no metaverso.

Matrículas

Com sua escola inserida no metaverso, o processo de matrícula tem tudo para ser menos burocrático e mais ágil. Há escolas, por exemplo, que já fazem o processo de matrícula pelo site (mas ainda são pouquíssimas). A diferença é que uma escola no metaverso os pais podem esclarecer dúvidas com os atendentes em tempo real, num ambiente muito similar ao do mundo material. Tudo isso torna o atendimento mais humanizado, mesmo que de modo online.

Sendo assim, essa ação digital provavelmente aumentaria o índice de matrículas no ano, um dos grandes desafios para qualquer instituição de ensino particular.

—————

Leia: Novos formatos de aprendizagem

—————

Ensino híbrido

A pandemia trouxe com força o ensino híbrido para as escolas, mas essa modalidade de ensino poderá sofrer uma grande transformação com a chegada do metaverso.

Imagine um(a) professor(a) de história levando seus alunos para conhecer o Museu do Louvre no metaverso? Todos caminhariam juntos pelo museu em tempo real e poderiam interagir uns com os outros.

Acredito que o metaverso tem a possibilidade de melhorar a qualidade da aprendizagem por meio das experiências vividas pelos(as) alunos(as).

Sala de aula virtual

Acho que este é um dos tópicos mais polêmicos sobre o metaverso em relação às escolas.

Não tenho a resposta do que pode ou não pode funcionar neste caso, mas gostaria de deixar algumas perguntas para reflexão.

Será que todas as aulas precisarão ser presenciais? E se o(a) aluno(a) não estiver se sentindo bem e, mesmo assim, quiser assistir à aula na sala virtual do metaverso?

Aliás, será que teremos aulas presenciais?

Será que um(a) aluno(a) poderá frequentar as aulas de uma escola em outra cidade ou até em outro estado? E em outro país? Será?

Livros escolares

Muitas escolas já estão optando por utilizar livros escolares somente em versão digital, e a tendência é a de esse número crescer rapidamente. Com o avanço da tecnologia, os livros digitais e impressos poderão oferecer recursos integrados ao metaverso.

Formação do corpo docente

É importantíssimo investir na formação de seus(as) professores(as). O metaverso é um conceito em construção, mas, em um piscar de olhos, ele será uma realidade.

Por conta da pandemia, os(as) professores(as) já se familiarizaram bem com diversas ferramentas tecnológicas, mas eles(as) não devem se acomodar. É preciso que a escola estimule os(as) docentes na busca por novas tecnologias.

Mesmo com o retorno das aulas presenciais, a escola não pode se acomodar achando que as aulas online acabaram e que a tecnologia voltará a ser somente um recurso complementar no ensino. Não. A tecnologia será parte fundamental da vida dos estudantes. Afinal, eles já estão em contato com o conceito de metaverso por meio de jogos virtuais como o Minecraft ou o Fortnite.

A verdade é que professores(as) e gestores(as), gostando ou não de tecnologia, precisam acessar essas plataformas para entender mais seus estudantes e pensar “fora da caixa” sobre as novas possibilidades de ensino em ambientes virtuais.

Imagine: quando o metaverso chegar pra valer, que formações incríveis a escola poderá realizar para os docentes?

Não sei ao certo como e quando tudo isso vai acontecer, mas acredito que o advento do metaverso será um caminho sem volta e que sim, teremos vantagens e desvantagens acompanhando essa novidade, como acontece com qualquer mudança abrupta. Com certeza será uma revolução em nossas vidas.

Contudo, o importante é aceitar a realidade para não sofrer no futuro.

*Helena Poças Leitão é fundadora da Sua Escola Ideal, autora do livro Marketing escolar de bolso e gerente de marketing da Editora do Brasil

Leia também

O papel da educação no tempo da incerteza

Envie um comentário

Your email address will not be published.