Projeto oferece atendimento gratuito com psicólogos e psicoterapeutas a educadores

A iniciativa é online e já foram atendidos 350 professores e 138 estudantes

Educadores que queiram uma escuta profissional ou ajuda para lidar com as angústias de seus estudantes podem se cadastrar para receber atendimento voluntário, gratuito e online. Psicólogos e psicoteraupeutas estão sendo convidados a participar desta ação realizada pela Quero na Escola, com apoio da Fundação SM, que reconhece o esforço das professoras e professores e valoriza a saúde emocional como necessidade para a educação no contexto da pandemia.

Leia: Volta às aulas presenciais exigirá cuidado com emocional de alunos e professores

professores saúde emocional

Foto: Envato Elements

A diretora da Fundação SM, Pilar Lacerda, ex-secretária Nacional de Educação Básica, enfatiza que a pandemia provocou uma grande ruptura em toda lógica de funcionamento do sistema escolar. “Crianças, adolescentes, jovens, suas famílias, mas principalmente os educadores, sofreram uma imensa transformação em suas rotinas, hábitos e maneiras de trabalhar. Muitos educadores têm reclamado de angústia, cansaço, solidão. Toda a comunidade escolar anda precisando de apoio e escuta”.

Como funciona

Pelo site do Apoio Emocional (queronaescola.com.br/apoioemocional) educadores se inscrevem para pedir uma escuta para si, uma roda online com os alunos, uma aula sobre como abordar o tema ou o que acharem que precisam.  Desde o lançamento do projeto, no último mês, já foram atendidos 350 professores e 138 estudantes diretamente.

Leia: Disciplina Positiva: conheça os princípios dessa abordagem socioemocional

Importante ressaltar que diferentes pesquisas apontam a fragilização da saúde emocional na educação durante a pandemia. A pesquisa Juventude e a Pandemia do Coronavírus, do Conselho Nacional de Juventude, apontou que a saúde emocional piorou para 70% dos mais de 30 mil estudantes consultados. Já a pesquisa Educação escolar em tempos de pandemia na visão de professoras/es da Educação Básica, da Fundação Carlos Chagas, mostra que o trabalho aumentou para 65% dos educadores e metade está com mais ansiedade e dificuldade emocional do que antes da pandemia.

Leia também:

Pandemia reforça importância da escola

Leitura e tecnologia: plataformas digitais da Árvore atingem mais de 1 milhão de alunos

Envie um comentário

Your email address will not be published.