/* Altera a margem superior apenas nessa página */

NOTÍCIA

Arte e Cultura

Jovem nordestina é protagonista de game que aborda o sertão baiano

Quebra de estereótipos e valorização da cultura tradicional marcam o jogo Árida, que contextualiza a região e povo da Caatinga

Publicado em 15/01/2019

por Laura Rachid

 
O game de origem baiana, Árida, surge na contramão das temáticas da indústria de games, uma vez que a brincadeira narra a história da jovem negra Cícera, que vive na Bahia do século XIX.
A paisagem do sertão nordestino, a Guerra de Canudos e as características da personagem central tornam o jogo eletrônico uma atividade educadora, que quebra estereótipo e traz a representatividade da força feminina.
Game mulher nordestina
Em síntese, Cícera é o ponto de partida para se conhecer o cotidiano sertanejo, marcado pela luta contra a seca, consequentemente, pela sobrevivência, junto à bela paisagem da Caatinga.
A arte baiana está presente no jogo por meio da música, cordel e até mesmo do grafite. Ao mesmo tempo, o game recebeu apoio de historiadores e especialistas da Uneb (Universidade do Estado da Nahia) e está há cerca de dois anos em processo de construção. O primeiro episódio deverá ser lançado no primeiro trimestre de 2019 para computadores.
Jogo eletrônico sobre sertão baiano


Leia também:

Unesco disponibiliza livros sobre mulheres que marcaram a história da África

Exposição gratuita apresenta os Yanomami pelo olhar de Claudia Andujar

Autor

Laura Rachid


Leia Arte e Cultura

Itaú Cultural Play_destaque

Filmes gratuitos sobre culturas ancestrais focam em professores 

+ Mais Informações
Diário de um Banana_destaque

A importância da escola é destaque em novo ‘Diário de um Banana’

+ Mais Informações
20220222-banner

‘Leia com uma criança’ foca em municípios vulneráveis

+ Mais Informações
Prêmio Jabuti_vencedores

Poesia de Fabrício Corsaletti é consagrada como livro do ano pelo...

+ Mais Informações

Mapa do Site