Oficina para professores quebra estereótipos sobre a África

Quando você fala de África para seus alunos, você considera apenas o estereótipo de pobreza e fome que formamos do continente? Para quebrar preconceitos raciais históricos formados sobre a região, o projeto Afreaka está promovendo a oficina A África nas escolas, uma abordagem sem estereótipos. Voltada para professores, ela terá seis sessões distribuídas entre São Paulo e Campinas. As inscrições devem ser feitas online e estão abertas. 

Na ocasião, os participantes irão aprender sobre o protagonismo africano e África contemporânea. A oficina também irá apresentar propostas de abordagem do tema na sala de aula dentro de diferentes perspectivas disciplinares e transdisciplinares. Para cada encontro, serão 125 vagas para professores e 50 vagas para o público geral.

Ao todo, são seis oficinas: quatro na Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo, e mais duas no Centro de Convenções da Unicamp, em Campinas. Todos os encontros acontecem em novembro, mês em que se comemora o Dia da Consciência Negra.