Em prol do meio ambiente

Feevale envolve alunos e professores em busca de soluções para problemas relacionados à gestão de recursos hídricos
por Juliana Duarte
174_42
Atentos à questão da sustentabilidade, professores e alunos da Universidade Feevale, de Novo Hamburgo (RS), resolveram dar uma contribuição especial ao meio ambiente. Em dezembro de 2011, a instituição firmou um convênio com a prefeitura da cidade e com a Comusa (companhia local de água e esgoto) para repensar o sistema de gestão de recursos hídricos do município. Foi então que professores e alunos dos cursos de ciências biológicas, gestão ambiental e engenharia química, entre outros, formaram um grupo com o intuito de estudar e propor soluções eficazes para o tratamento do esgoto. “É uma cooperação técnica, financeira, administrativa e gerencial, visando estudos de concepção de projetos ambientalmente sustentáveis e economicamente viá­veis”, afirma Gunther Gehlen, professor do Instituto de Ciências da Saúde da Feevale.
Segundo ele, a participação dos estudantes, apesar de voluntária, é uma ótima oportunidade de oferecer mais experiência prática à formação acadêmica. “Basta ter tempo e interesse. Além de ser benéfico para a cidade inteira, o projeto contribui para a formação acadêmica de futuros bió­logos, engenheiros e gestores ambientais, permitindo experiências sólidas e o desenvolvimento de competências”, ressalta.
O engajamento da instituição no projeto ainda resultou no aumento da produção científica relacionada ao assunto, com diversos artigos científicos e pesquisas elaboradas pelos alunos. “Todos os estudos são muito importantes para a implantação de novas técnicas e sistemas”, diz o professor.
A solução encontrada pelo grupo de estudos para melhorar o sistema de tratamento de águas foi adotar macrófitas flutuantes (Hidrolution FMF). As plantas aquáticas ficam apoiadas em flutuadores abastecidos pela luz solar, gerando também economia de energia no processo. A tecnologia foi implantada parcialmente na estação Mundo Novo. “Não há consumo de energia, pois os maiores motores nesse processo são as plantas. É uma tecnologia limpa que irá beneficiar rios e arroios do município, pois atualmente o esgoto é despejado diretamente sobre eles”, comenta.

Raio X
Cooperação Feevale-Comusa 
Início do projeto: 2011 
Número de alunos envolvidos: 13, sendo uma ex-aluna 
Professores da Feevale envolvidos: 9 
Profissionais da Comusa: 22 
Número de pessoas beneficiadas atualmente pelo sistema: 5 mil 
Objetivo: atender 12 mil pessoas 
Número de mudas necessárias para o tratamento na cidade: 3.800

 

Envie um comentário

Your email address will not be published.