Formação dos professores terá maior carga horária

A formação dos novos professores brasileiros será mais longa a partir de agora. Ao invés de três anos de carga horária (2,8 mil horas), os estudantes terão de cumprir, no mínimo, quatro anos na licenciatura (3,2 mil horas). As novas regras foram definidas pelo parecer do Conselho Nacional de Educação (CNE), parte das medidas adotadas em decorrência do Plano Nacional da Educação (PNE). As determinações devem ser colocadas em prática em até dois anos.

As novas regras também estabelecem que os cursos de licenciatura inicial tenham 400 horas de atividades práticas e mais 400 horas de estágio supervisionado em escolas. O documento pede a integração entre teoria e prática e entre redes de ensino e instituições de ensino superior para a melhor formação dos professores. “Há toda uma perspectiva de integração da educação básica e superior. Pensar a formação dos professores agora não é uma atribuição apenas das instituições de ensino superior, mas é uma parceria com a educação básica”, declarou à Agência Brasil o relator do parecer, Luiz Fernandes Dourado.

Para a segunda licenciatura, a duração total é de 800 a 1,2 mil horas e os cursos de formação pedagógica para os graduados não licenciados devem ter a duração de 1 mil a 1,4 mil horas, incluindo carga horária prática obrigatória.

O parecer também definiu a formação continuada de professores que já estão na sala de aula. Estes cursos incluem atividades de extensão, aperfeiçoamento, especialização e pós-graduação.