COLUNISTAS:

Colunista

Débora Garofalo

Primeira sul-americana finalista do Global Teacher Prize, prêmio que a colocou entre os 10 melhores professores do mundo

Publicado em 27/10/2023

Educação 5.0 — o que é e como levá-la à sala de aula

Os avanços tecnológicos causam certa incerteza, principalmente quando falamos de educação, mas é necessário desmitificá-los

A educação 5.0 visa a humanização das tecnologias a partir do trabalho com as habilidades socioemocionais. Em um mundo em constantes mudanças, principalmente tecnológicas, é necessário discutirmos formas de levar essa proposta para dentro da sala de aula. 

Na educação, o termo ganhou força com abordagens inovadoras como as metodologias ativas e a abordagem investigativa como STEAM (acrônimo das áreas do conhecimento de Ciências, Tecnologias, Engenharia, Artes e Matemática), cultura maker, programação e robótica — porta de entrada para o trabalho com as tecnologias que podem envolver atividades plugadas (digitais) e/ou desplugadas (concretas) com materiais estruturados e ou não estruturados, IoT (internet das coisas), inteligência artificial, entre outros. 

Dessa maneira, a educação 5.0 chegou para ficar e ressignificar a forma de ensinar e aprender.


Leia também

Proteção digital: ‘terra de ninguém’ precisa de limites

Como a tecnologia pode auxiliar o processo de aprendizagem


De olho na educação 5.0

A educação 5.0 surgiu como uma resposta aos desafios e demandas da sociedade contemporânea, que está cada vez mais conectada e tecnologicamente avançada.

Inspirada no conceito de indústria 4.0 e sendo uma evolução natural da educação 4.0, a educação 5.0 busca integrar as tecnologias digitais como objeto de conhecimento e ferramenta de ensino, tendo como porta de entrada a cultura maker e a inteligência artificial ao processo educacional, promovendo uma aprendizagem mais personalizada, colaborativa e contextualizada. 

Essa abordagem reconhece a importância de desenvolver habilidades socioemocionais como criatividade, pensamento crítico, resolução de problemas e trabalho em equipe, além de valorizar a autonomia e protagonismo juvenil a sua capacidade de aprender ao longo da vida. A educação 5.0 busca preparar os estudantes para enfrentar os desafios do século 21, estimulando a inovação, a adaptabilidade e a capacidade de lidar com a complexidade do mundo atual.

Engana-se que pensa que estamos falando de processos high tech (altas tecnologias), mas de concepções que visam humanizar o processo de aprendizagem. Assim, para levar a educação 5.0 para dentro da sala de aula, é necessário adotar algumas sugestões.

Educação 5.0 na prática e na sala de aula

Como vimos, trabalhar com a educação 5.0 pode partir de diferentes abordagens que envolvem atividades desplugadas e plugadas, acompanhadas de intencionalidade pedagógica para alavancar o processo de aprendizagem, mas sem deixar de lado as habilidades e competências socioemocionais. 

1. Integração de tecnologias: utilize recursos tecnológicos como tablets, computadores e aplicativos educacionais para enriquecer as aulas e promover a interação dos estudantes com o conteúdo. Isso permite que eles tenham acesso a informações atualizadas e desenvolvam habilidades digitais essenciais.

2. Aprendizagem ativa: promova atividades práticas e colaborativas, em que os estudantes possam aplicar o conhecimento adquirido de forma significativa. Incentive a resolução de problemas reais, projetos interdisciplinares e debates em grupo, estimulando a participação ativa dos estudantes.

3. Desenvolvimento de habilidades socioemocionais: inclua atividades que estimulem o desenvolvimento das habilidades socioemocionais como empatia, autoconhecimento, resiliência e trabalho em equipe. Essas habilidades são fundamentais para o sucesso pessoal e profissional dos estudantes.

4. Personalização do ensino: adapte o ensino às necessidades individuais e coletivas dos estudantes, levando em consideração seu ritmo de aprendizagem, interesses e estilos de aprendizagem. Utilize estratégias diferenciadas, como aulas invertidas, rotação por estações e tutoria individualizada para garantir que todos os estudantes sejam atendidos de forma adequada.

5. Educação além dos muros da escola: explore oportunidades de aprendizagem fora da sala de aula, como visitas a museus, empresas e instituições culturais. Estimule os estudantes a participarem de projetos comunitários e a se envolverem em atividades extracurriculares que ampliem seus horizontes e promovam a cidadania.

6. Avaliação formativa: utilize estratégias de avaliação que permitam acompanhar o progresso dos estudantes de forma contínua e formativa. Além de provas tradicionais, inclua também a avaliação por meio de projetos, portfólios e apresentações que oportunizem aos estudantes demonstrarem suas habilidades e conhecimentos de maneira mais autêntica e protagonista.

7. Formação contínua dos professores: promova a capacitação dos professores para que possam se atualizar em relação às novas tecnologias e metodologias de ensino. Incentive a participação em cursos, workshops e grupos de estudo para que os educadores estejam preparados para implementar a educação 5.0 de forma eficaz.

O desenvolvimento da educação 5.0 está relacionada a atitudes em que o território educativo pode  se desenvolver por meio do uso de metodologias ativas e de modalidades que façam parte da realidade e do projeto político-pedagógico como projetos integradores em que os estudantes passam a contribuir na identificação e na resoluções de problemas usando as diferentes áreas de conhecimento, mas tendo a oportunidade de vivenciar as habilidades socioemocionais e a tecnologia como propulsora ao processo de ensino e aprendizagem.

Ao adotar essas sugestões, a educação 5.0 poderá ser efetivamente incorporada na sala de aula, proporcionando aos estudantes uma formação completa, integral e alinhada com as demandas do mundo contemporâneo em que a humanização da aprendizagem se faz presente o tempo todo. 

Escute nosso episódio de podcast:

https://open.spotify.com/episode/0inUzTcPMkIElhbffFftdK


Leia mais

educação emancipadora

Por uma educação emancipadora

+ Mais Informações
juventude

Brasil enaltece juventude, mas a abandona à própria sorte

+ Mais Informações
etnomatemática

Como vivenciar a matemática

+ Mais Informações
BNCC da computação

BNCC da Computação: estratégias e diretrizes para adaptar suas aulas

+ Mais Informações

Mapa do Site