COLUNISTAS:

Colunista

Damaris Silva

Mestre em letras e consultora de gestão de projetos educacionais para redes públicas e privadas de ensino

Publicado em 15/03/2023

Escola acolhedora é a que está atenta às distintas realidades

Escola acolhedora é a que está atenta às distintas realidades da comunidade escolar

O ‘saber cuidar’ é um conceito que, há algumas décadas, Leonardo Boff, teólogo e professor emérito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, nos trouxe por meio da obra Saber cuidar: ética do humano, compaixão pela terra. Lançado em 1999, o livro nos traz pistas do que ele considerava, à época, o sintoma mais doloroso dos nossos tempos. Que chamou de “difuso mal-estar da civilização”, que se espelhava sob o fenômeno de um descuido por completo. Falta de cuidado e descaso com aqueles que estão à margem da humanidade, aos que não têm condições dignas de sobrevivência econômica, social e política.


Leia também

A diversidade na escola como direito

Pedagogia culturalmente relevante para dar voz aos alunos


A partir disso, o autor discorre sobre o abandono a que estão submetidas crianças e jovens marginalizados da humanidade, para os quais não há acesso a condições saudáveis de sobrevivência. Estão também à sombra de políticas públicas efetivas, que atendam às suas necessidades. Em um final ‘não-conclusivo’, Boff ressalta que não há sujeito único responsável por essa mudança, trata-se de um empenho coletivo orientado para um novo sentido de viver e de atuar no mundo, “um caminho coletivo que se faz caminhando”.

Nesse sentido, ao inaugurarmos mais um ano, faz-se necessário atentar ao cuidado e ao acolhimento, não só das crianças, mas também dos professores e de toda a comunidade escolar com vistas à justiça social e à equidade. Devem-se fortalecer laços em prol do enfrentamento das dificuldades desde o início do ano letivo. Trata-se de um momento importante para que gestores, professores e alunos se sintam acolhidos e preparados, de modo que se ofereça um ambiente inclusivo e respeitoso para todos, construindo uma escola acolhedora.

Sob a perspectiva do acolhimento, destaco o exemplo do governo do estado do Ceará que, por meio da Secretaria da Educação, anunciou em 2023 a temática das relações étnico-raciais. Serão parte integrante dos ambientes de ensino e aprendizagem da rede de ensino, como um compromisso com uma educação antirracista de modo interdisciplinar e transversal, desde a sua implementação nos currículos escolares às relações pessoais. A presença do tema não será apenas em momentos pontuais no calendário escolar.

Leia também

Padre Júlio Lancellotti: faltam humanidade e partilha nas escolas

Apagão docente: jovens se afastam da profissão


Leia mais

educação emancipadora

Por uma educação emancipadora

+ Mais Informações
juventude

Brasil enaltece juventude, mas a abandona à própria sorte

+ Mais Informações
etnomatemática

Como vivenciar a matemática

+ Mais Informações
BNCC da computação

BNCC da Computação: estratégias e diretrizes para adaptar suas aulas

+ Mais Informações

Mapa do Site