NOTÍCIA

Bett Brasil

Especialistas discutem os principais aspectos dos itinerários formativos

Os itinerários formativos do novo ensino médio são um dos temas mais pulsantes, até porque a lei passou a valer este ano e as escolas estão em fase de implantação e adaptação. Em palestra realizada hoje, 11, no segundo dia da Bett Brasil, o head […]

Publicado em 11/05/2022

por Gustavo Lima

Os itinerários formativos do novo ensino médio são um dos temas mais pulsantes, até porque a lei passou a valer este ano e as escolas estão em fase de implantação e adaptação. Em palestra realizada hoje, 11, no segundo dia da Bett Brasil, o head de educação da Proz, Anderson Ceolin Soares, e o gerente de produto educacional da ArtBee/Belas Artes, Rafael Garcia, discutiram as principais transformações dessa novidade.

Anderson Ceolin falou sobre a metodologia adotada na Proz. Ele apontou a criação do núcleo de apoio como um dos destaques da escola técnica. “Não poderíamos ficar só na sala de aula, precisávamos estender os braços da escola.”


Leia: Inteligência artificial é a nova Renascença


Uma das principais ações tomadas, contou Anderson, foi a padronização do sistema de ensino: “houve a mudança do projeto pedagógico, agora orientado por competências; também foram desenvolvidos roteiros de aula para os docentes com múltiplos formatos de conteúdo (plano de aula, podcasts, casos, quizzes e videoaulas)”.

Rafael Garcia falou sobre as soluções para os itinerários desenvolvidas no Artbee/Belas Artes. “Uma oportunidade de a universidade apoiar o processo”, explica.

Rafael destacou ainda as transformações da Educação 5.0 que, para ele, não é uma ruptura, mas sim a evolução do formato 4.0. O gerente defende que para o estudante de ensino médio evoluir, algumas competências e habilidades precisam ser desenvolvidas. Entre elas: interface com trabalho, metodologias e tecnologias, cidadania, autoconhecimento, empreendedorismo e estudo continuado. 

“Como o ensino superior pode auxiliar nisso? É preciso experimentar essas competências dentro do contexto pedagógico da escola”, completou.

Segundo Rafael, o principal desafio é entender as linguagens que são “muito diferentes”. Ele coloca em evidência o fato de que muitos estudantes apresentam dificuldades ao chegar no ensino superior. “Há uma distância entre o terceiro ano do ensino médio e o primeiro ano da faculdade.”

O gerente destaca a necessidade de um olhar mais delicado para a educação básica. “A realização de pesquisas tem que começar na educação infantil. Precisamos receber o aluno com um pouco mais de formação”, concluiu.


Bett Brasil é o maior evento de educação e tecnologia na América Latina. Acontece de 10 a 13 de maio no Transamerica Expo Center, São Paulo. E nós, da Educação, estamos fazendo uma cobertura especial. Continue nos acompanhando. Clique aqui para ver nossa cobertura.


Leia também:

Itinerários formativos e o desafio da lei de chegar para todos

Autor

Gustavo Lima


Leia Bett Brasil

propósito

Propósito e missão para uma educação sustentável

+ Mais Informações
projetor-interativo-epson

Como tornar a tecnologia digital uma aliada do professor

+ Mais Informações
inteligência artificial

Ao contrário do Metaverso, inteligência artificial veio para ficar,...

+ Mais Informações
augusto-cury-intoxicacao-digital-

Intoxicação digital e o papel da escola, segundo Augusto Cury

+ Mais Informações

Mapa do Site