Inteligência artificial é a nova Renascença

Futurismo na educação foi tema de painel da Bett que contou com a participação do nosso colunista Alexandre Sayad

É preciso olhar para a educação como um sistema. É o que afirma o jornalista, educador e nosso colunista, Alexandre Le Voci Sayad. Em palestra realizada hoje, 10, durante a Bett Brasil, o profissional falou sobre o olhar longínquo muitas vezes dado à tecnologia. 

De acordo com Sayad, devemos começar a encarar os desafios digitais como de primeira ordem. “É necessário que a gente pare de usar a palavra ‘nova’ junto com tecnologia digital.”


Leia: Assim como em outros países, professor brasileiro precisa se dedicar a uma escola


Para a futurista Beia Carvalho, que também esteve presente na discussão, vivemos na década mais complexa. “Quando a gente olha para o futuro, devemos fazer com uma intensa intenção”, destacou.

Em pleno século 21, as pessoas estão cercadas de questionamentos distantes. Há uma ascensão das perguntas sem respostas, como enfatizado pela futurista: “Quantas vacinas serão produzidas? Quantas pandemias iremos enfrentar?”

Segunda Beia, olhasse para o futuro com arrogância, presunção, desdém ou pavor. Esses são alguns dos sentimentos que mantém a sociedade presa ao passado.

Para uma melhor socialização com os avanços tecnológicos, no entanto, se faz necessário o aumento do interesse e da descoberta pelo que já está em nosso alcance. “Fake news estão muita ligadas à nossa relação com o algoritmo”, enfatizou Sayad. “Quanto mais ensinarmos os nossos filhos e alunos sobre fake news, mais perto da distopia o mundo vai ficar”, complementou Beia.

Para o colunista, é preciso uma revolução humana. “Precisamos educar até o último dia de nossas vidas e deixar de sermos analfabetos do século 21.” Além das fake news, os profissionais também reforçam a necessidade de entender o universo de NFTs e metaversos para ensinar as crianças sobre essas novas realidades.

“Se a realidade do metaverso se torna imersiva, quem garante os direitos das crianças e dos adolescentes lá dentro?”, questionou Sayad.

Alexandre evidencia que “o que é contemporâneo é implacável”. O educador ressaltou que o currículo dos professores deve se atualizar para questões como o pensamento socioemocional, pensamento crítico, entre outros. “Quebrar o caráter conservadorista”, completou.


Bett Brasil é o maior evento de educação e tecnologia na América Latina. Acontece de 10 a 13 de maio no Transamerica Expo Center, São Paulo. E nós, da Educação, estamos fazendo uma cobertura especial. Continue nos acompanhando. Clique aqui para ver nossa cobertura.


Escute nosso podcast:

Envie um comentário

Your email address will not be published.