Bahema Educação compra três escolas da Ânima por cerca de R$ 30 milhões

A operação inclui duas Escolas Internacionais, o Colégio Tupy e uma parceria para a abertura de pelo menos cinco unidades de escolas da Bahema em espaços compartilhados nos campi da Ânima até 2025

A Bahema Educação, empresa de educação privada do país com foco em ensino básico, comprou recentemente escolas de Santa Catarina, a Escola Internacional de Florianópolis, a Escola Internacional de Blumenau e o Colégio Tupy. As três pertenciam à Ânima Educação, uma das principais organizações educacionais particulares de ensino superior do Brasil.

A operação terá preço mínimo de R$ 30 milhões, sendo R$ 18 milhões pagos na conclusão da operação e os outros R$ 12 milhões até maio de 2022.

Leia: Criador da escola Lumiar explica seu projeto pedagógico e critica modelo PBL

“A operação da Bahema com a Ânima faz sentido para as duas companhias, dado que a Ânima sempre teve o ensino superior como seu foco de atuação enquanto a Bahema tem foco exatamente em educação básica”, diz Guilherme Affonso Ferreira Filho, diretor de relações com investidores da Bahema.

Bahema Educação compra de escolas

Compra de escolas continua quente no setor (foto: Envato Elements)

Na mesma transação, as duas empresas assinaram um acordo de parceria para utilização de espaços em campi ociosos da Ânima para abertura de novas unidades de escolas da Bahema, especialmente da Escola Mais. O acordo todo prevê uma obrigação mínima da Bahema de sublocar espaços em cinco campi até 2025, o que agrega um potencial valor incremental de pelo menos R$ 5 milhões à Ânima.

As escolas

Com as aquisições, a Bahema passa a contar com mais de 12 mil alunos e presença em cinco estados. A empresa tem direcionado seu crescimento para escolas que seguem linhas pedagógicas complementares, sendo um grupo com perfil socioconstrutivista, outro de escolas bilíngues/internacionais e a Escola Mais, que visa levar uma educação em tempo integral a preços acessíveis.

Fundadas em 2014 e 2016, respectivamente, as Escolas Internacionais de Florianópolis e de Blumenau atendem hoje juntas cerca de 600 alunos que buscam, além da educação bilíngue, uma proposta pedagógica alinhada aos princípios socioconstrutivista e com uma dupla certificação internacional, tanto pelo IB-Diploma Programa quanto pelo High School estadunidense.

As duas escolas internacionais se somam ao BIS – Brazilian International School, em São Paulo, que oferece uma proposta bilíngue, e também às outras nove escolas da Bahema em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Florianópolis e Recife, ampliando assim as possibilidades de trocas de experiência e intercâmbios pedagógicos entre educadores, alunos e famílias.

Tupy, missão de ser para todos

O Colégio Tupy, fundado em 2003 em Joinville para complementar a tradicional Escola Técnica Tupy, de 1959, se integrará à Escola Mais, que tem como propósito tornar acessível uma metodologia moderna, de tempo integral, com aulas de inglês todos os dias, possui quatro unidades em São Paulo e mais de 2 mil alunos.

As equipes do Colégio Tupy e Escola Mais irão trabalhar em parceria para identificar os pontos de convergência entre as propostas das duas escolas, com o intuito de trazer para Joinville as inovações conquistadas até agora, sem abrir mão da possibilidade de conciliar o currículo do ensino médio regular com a proposta realizada há mais de seis décadas pela Escola Técnica Tupy. O Colégio Tupy hoje conta com aproximadamente 350 alunos. A aquisição não inclui a Escola Técnica, que continua com a Ânima.

Leia também

Covid-19 e o isolamento social impulsionam as startups de educação

Tecnologia educacional democrática precisa ser estratégia de Estado

Envie um comentário

Your email address will not be published.