Design de aprendizagem: professor como arquiteto da educação

Ana Paula Gaspar, historiadora e mestre em design fala sobre a importância desse método para enriquecer e melhorar a aprendizagem dos alunos

Antes de mais nada, é preciso estabelecer que a palavra inglesa gera alguns equívocos quanto à sua amplitude. “Design não se trata só de desenho e elaborações gráficas; a palavra traz consigo o sentido de projeto, de desígnio”, explica Ana Paula Gaspar, historiadora e mestre em design, entre outras especialidades. Design de aprendizagem então, é uma abordagem pedagógica na qual cabem diferentes conhecimentos, práticas e metodologias.

O intuito da mestre em sua oficina no último dia da Jornada Bett Online, em 14 de maio, às 14h, é “provocar os docentes, a fim de fazer-se entender que é preciso mais de uma ciência para ser um bom professor”, comenta.

Leia: O gestor como designer

“Existem pesquisas que dizem que professores fazem mais microdecisões em sala de aula do que um neurocirurgião durante uma cirurgia. O ofício lida com muita complexidade e nem sempre se tem instrumentos, ferramentas e métodos de procedimento para lidar e organizar o pensamento complexo, por isso, o modelo projetual do design é muito organizativo para o professor”, exemplifica Gaspar.

design aprendizagem

Ana Gaspar também atua em cursos de pós-graduação sobre metodologias ativas (foto: reprodução)

O impacto do design de aprendizagem na docência

Nesse sentido, o design de aprendizagem faz com que o educador se veja como um arquiteto do processo de ensino, enxergando uma aula, um bimestre ou mesmo um semestre inteiro como um projeto real: com o passo a passo que ele irá seguir, utilizando-se de conhecimentos, ferramentas e métodos que não só o livro didático, no objetivo de enriquecer e melhorar a aprendizagem de seus alunos. O mais importante, no entanto, é que o educador entenda o porquê de ele se utilizar do design para não virar apenas um método a ser seguido.

Por isso que, para Ana Gaspar, o design é impactante nas práticas pedagógicas, pois ele leva ao professor capacidades que não existem em sua formação inicial, como, por exemplo, a resolução de problemas, gestão de pessoas e do próprio ofício em si.

“O design em seu significado mais amplo, é carregado de sentido de projeto, do todo. Quer dizer que ali tem intenção, investigação, análise de impacto, que carrega consigo uma ideologia, um olhar político, uma visão de mundo. O professor enquanto profissional, precisa ter essa visão do ensino como projeto”, finaliza Ana Paula Gaspar.

Leia também:

Tecnologia digital não é ferramenta, mas linguagem

Saúde mental e as habilidades socioemocionais dos professores

Envie um comentário

Your email address will not be published.