Os benefícios da aprendizagem baseada em projetos

Metodologia aumenta o envolvimento dos alunos e oferece oportunidades de aprendizado interdisciplinares. Saiba como as escolas estadunidenses estão desenvolvendo essa abordagem

Por Tara García Mathewson*: As escolas públicas do Condado de Shelby, um distrito que atende cerca de 7.000 estudantes a meio caminho entre Louisville e Lexington, recebeu a aprovação do estado para “instruções não tradicionais” há vários anos. Isso significa que, se uma forte tempestade de neve atingir o município, eles poderão manter a escola remotamente e contar os dias como qualquer outro no calendário escolar. Sua experiência com o aprendizado remoto ajudou quando as escolas fecharam por causa do coronavírus.

Leia: Metodologias ativas de aprendizagem: saiba o que são e como incluí-las em sua escola

aprendizagem baseada em projetos

Foto: Shutterstock

Mas apenas por alguns dias. Como o fechamento se prolongava por semanas e a reabertura parecia cada vez mais distante, os educadores do Condado de Shelby tiveram de mudar de marcha.

Susan Dugle é a diretora acadêmica do distrito e, nas duas primeiras semanas de aprendizado remoto, ela assistiu a professores de todo o país se esforçando até o limite, tentando replicar remotamente um dia normal de escola, enquanto mantinham o horário comercial à noite. O cronograma era insustentável para os professores e criava problemas para os alunos. Todas as crianças do distrito tinham um dispositivo, mas nem todas tinham internet confiável de alta velocidade ou adultos que pudessem ajudá-las em casa quando um professor remoto não bastasse.

As escolas públicas do Condado de Shelby treinaram todos os seus professores em aprendizagem baseada em projetos sete anos atrás, e a prática havia se enraizado em todo o distrito. Os projetos sempre foram comuns nas salas de aula e os alunos frequentemente envolvem as unidades com tarefas maiores que unem o que aprenderam.

Leia: Alunos de escolas públicas evoluem em matemática com metodologia atrelada à neurociência

Esse modelo, no entanto, incorpora o ensino e a aprendizagem de novos conteúdos nos próprios projetos. Eles são os meios, não o fim. Foi demonstrado que o aprendizado baseado em projetos aumenta o envolvimento dos alunos, oferece oportunidades de aprendizado interdisciplinares para que pratiquem habilidades de colaboração e pensamento crítico que são muito procurados no ambiente de trabalho moderno. Dugle achou que esse período de aprendizado remoto poderia ser o momento perfeito para impulsionar a estratégia e envolver ainda mais professores.

No final, funcionou

Dugle disse que os professores de todo o distrito viram um maior envolvimento dos alunos graças a projetos que cativaram a atenção dos alunos e deram a eles a liberdade de trabalhar em partes da tarefa em seu próprio ritmo. Muitos projetos se concentraram na covid-19 e na pandemia, mas não em todos eles. Uma professora da segunda série fez com que seus alunos criassem cartões Pokémon originais e criassem criaturas de faz de conta que combinavam características de animais reais sobre os quais liam por conta própria. Além de desenhar figuras de suas criaturas, os alunos tiveram que escrever sobre seus pontos fortes e fracos, com base nos animais pelos quais foram inspirados.

Os professores que antes não tiveram a coragem de mergulhar na aprendizagem baseada em projetos descobriram, durante instruções remotas, que realmente poderia ser academicamente rigoroso e estimular uma profunda compreensão dos tópicos da aula.

“Quando pudemos ver todos os produtos de aprendizado que aconteceram por causa disso, realmente foi um ponto importante para consolidar esse novo modelo”,  disse Dugle.

Agora, enquanto o distrito se prepara para as aulas no próximo outono, os educadores veem amplamente a aprendizagem baseada em projetos como um modelo a ser priorizado. Os professores fizeram um balanço do quanto os alunos aprenderam nesta primavera e do que precisarão acompanhar no próximo ano, mas Dugle disse que não será possível simplesmente aderir ao conteúdo que os alunos perderam no currículo do próximo ano.

“O que decidimos”, disse Dugle, “é que o aprendizado baseado em projetos é o caminho para obter possíveis padrões e aprendizados ausentes do ano anterior e integrá-los a um projeto no ano seguinte… e fazer com que o aprendizado ocorra em todos os níveis ao mesmo tempo.”

*Esta matéria foi produzida pelo The Hechinger Report, uma organização de notícias independente e sem fins lucrativos, focada na desigualdade e inovação na educação.

Leia também:

Como a tecnologia pode ajudar a melhorar a educação

Entenda as 10 competências gerais da BNCC

Envie um comentário

Your email address will not be published.