A importância da rubrica e do portfólio no processo avaliativo

Você já se questionou como tem avaliado os seus estudantes na transição do processo de aulas remotas e presenciais?

Com a proximidade do final de ano, faz-se necessário refletirmos e encontrarmos novas formas de inovarmos no processo de avaliação junto aos estudantes. A rubrica e o portfólio podem auxiliar neste processo, justamente por estabelecerem uma comunicação constante com os estudantes, fornecerem feedbacks, estabelecerem critérios pautados nos objetivos de aprendizagem e, principalmente, darem clareza aos envolvidos no processo.

Leia: A importância da busca ativa na educação

avaliação rubrica
Avaliação em rubrica permite a participação ativa do estudante (foto: Envato Elements)

Assim, é essencial envolver os estudantes no processo de avaliação, explicar sobre as habilidades, conhecimentos, atitudes que se espera que sejam desenvolvidos e o que o professor pretende a partir da situação didática.

A avaliação precisa ser pensada e cuidadosamente planejada a fim de almejar e identificar as evidências dos objetivos de aprendizagem alcançados pelos estudantes e isso deve estar alinhado ao currículo e à abordagem que devem contemplar:

  1. Conteúdo – tema da aula, habilidades e competências que serão desenvolvidas;
  2. Objetivo – qual o objetivo de aprendizagem e qual o desenvolvimento para a situação elaborada;
  3. Metodologia – qual a metodologia que será empregada e como conduzir a aula para que desenvolva o que o professor apontou como objetivo;
  4. Recursos – quais materiais serão utilizados e como devo organizar o espaço;
  5. Avaliação – como o professor poderá identificar as evidências de aprendizagem e se o objetivo foi atingido ou não, além dos critérios que serão estabelecidos.

Este planejamento pode ser apresentado aos estudantes para que durante a aprendizagem e ao final dela, ele possa conhecer como se deu esse processo e o que conseguiu desenvolver e quais novos caminhos de aprofundamento e ou reforço podem ser aplicados, sendo nesta hora que a rubrica e o portfolio podem fazer a diferença.

Leia: 59% dos disléxicos não receberam adaptação pedagógica na pandemia

Conhecendo mais sobre a rubrica e o portfólio para levar à sala de aula

A avaliação em rubrica traz critérios específicos relacionados à atividade, objetivos de aprendizagem que se deseja alcançar. Para sua elaboração, é importante ter claros os critérios e determinar onde o estudante está e onde pretende chegar.

O principal objetivo deste instrumento é tornar o critério de avaliação objetivo e explícito, permitindo que o estudante participe ativamente da construção da sua avaliação e possa, neste mesmo processo, avaliar o professor. Para a criação da rubrica, pode ser feito o uso de tabela e de campos para indicar a situação atual e a que se pretende alcançar, tendo a possibilidade de trazer personagens para deixar a aprendizagem mais interativa.

Outro aspecto positivo é a autoavaliação, em que os estudantes criam uma rotina de reflexão sobre o seu desempenho, indicando como estão suas competências para as os desafios propostos e dando prioridade à participação ativa dos jovens.

Já o portfólio é um conjunto organizado de trabalhos produzidos pelos estudantes ao longo do período letivo e que deve reunir atividades relevantes que demonstrem a trajetória da aprendizagem – que servirá como instrumento de avaliação.

O ideal é que o portfólio seja estruturado em: introdução, apresentação das atividades e do currículo estudado; descrição de cada trabalho realizado, com imagens, diários de voz e fichas descritivas; datas em que foram realizadas as atividades; seção de revisão com reflexões dos estudantes e uma autoavaliação reservada para que possam tecer os comentários que julgarem necessários para seu processo de ensino e aprendizagem.

Tanto a avaliação em rubrica quanto como portfólio têm um potencial enorme de pertencimento ao processo avaliativo, permitindo que os estudantes sejam protagonistas ativos da sua construção de conhecimento e ainda contribuem para sua integralidade, baseada no desenvolvimento de habilidades socioemocionais e projeto de vida.

Débora Garofalo é a primeira sul-americana finalista do Global Teacher Prize, prêmio que a colocou entre os 10 melhores professores do mundo

Leia também

O papel da escola para além do conteúdo

Envie um comentário

Your email address will not be published.